Facebook vai acabar com os likes


A cada dia, as imagens do mundo digital caminham para serem virais e se propagam mundo afora. Exemplo disso são os likes, “gostei” ou “curtirdas”. O gestual de uma mãozinha fazendo positivo com o polegar, turbinou para um poderoso ícone de aceitação, de prestígio e reconhecimento daquele que detiver o maior número de curtidas.


Os likes se espalham rapidamente e são recebidas como sendo a verdade de quem a curtiu, gerando uma intricada e imprevisível rede de influência de opiniões, comentários que amplificam o impacto da curtida. A partir daqui, desde seu surgimento, os likes criaram uma ilusão de que seu volume, quanto maior, indicaria prestígio, qualidade do objeto ou comentário coisificado que eles representam.


Percebendo essa dinâmica, a rede social Facebook® divulgou que desejava que a rede fosse um local onde as pessoas pudessem se expressar confortavelmente postando fotos e vídeos em vez de se concentrarem no número de Likes.


Visando reduzir a pressão social sobre os usuários, Facebook® está cogitando retirar o contador de Likes dos posts. A ideia é protegê-los de comparar-se de maneira destrutiva com os outros e se sentirem desprestigiados caso seus posts não recebam uma certa quantidade de Likes. Também impediria os usuários de deletar posts que não tivessem Likes o suficiente.


Em 2 de setembro de 2019, Facebook® confirmou a TechCrunch que está cogitando testar o fim dos contadores de Likes da plataforma. A desenvolvedora de app, Jane Manchun Wong, a primeira a divulgar a possibilidade após analisar o código do app do Facebook®, sugere que esta mudança pode permitir os usuários ficarem menos ansiosos sobre o quão popular seu conteúdo é percebido.


Os testes para esconder Likes, reacts e views no Facebook®, e deixá-los visíveis apenas para o autor do post começaram no mesmo mês na Austrália. Ao que tudo indica, a ideia pode sinalizar resultados positivos advindos da supressão de Likes do Instagram®. Desde Abril a rede retirou a quantidade de Likes no Canadá, e, em Julho, fez o mesmo com Brasil, Austrália, Nova Zelândia, Itália, Irlanda e Japão.


Apesar das boas intenções para com o usuário médio, efeitos colaterais negativos recaíram sobre influencers nos mercados onde a medida foi implementada. Um estudo pela HypeAuditor publicado na Social Media Today demonstrou as alterações nas quantidades de Likes de Influencers com diferentes números de seguidores


*Como as curtidas ocultas afetam o número de likes entre influenciadores com 5-20 mil seguidores?

*Como as curtidas ocultas afetam o número de likes entre influenciadores com 100 mil-1milhão de seguidores?


Sendo o Japão a única anomalia, e UK o elemento de controle, tendo em vista não estar passando pelo teste do Instagram, a queda nas quantidades é significante, principalmente no mercado brasileiro.


O experimento gera um alerta para aqueles que trabalham com mídias sociais. Sejam mudanças de visão da empresa no seu modo de influenciar seus usuários, ou outras como o intuito direto em reduzir o alcance de conteúdo, como a limitação de encaminhamentos do WhatsApp®, as plataformas vão sempre ser variáveis incontroláveis para seus negócios. Um conteúdo relevante e uma boa gestão de seu espaço virtual lhe permite amenizar súbitas transformações e manter-se em destaque, independente da dificuldade.


21 visualizações
  • Instagram
  • YouTube

©2019 por Intera.